A liberdade para amar

Amor nem sempre existiu em liberdade

E a liberdade para amar está a perigo. Num mundo onde grupos globalistas e religiões fundamentalistas oprimem quem pensa diferente de mil maneiras, é preciso compreender o quanto é importante defender a sua liberdade de pensar, de agir e de viver.

agitprop da exposição da exposição Queermuseu nada mais foi do que agitação e propaganda. A agenda sequer vem do PSOL. Ela vem da ONU, uma entidade globalista recheada de pessoas com uma certa ideologia totalitária. Eles têm planos para todos nós. Um deles é impedir novos nascimentos o máximo possível.

Além de patrocinar o aborto, impedindo que as pessoas amem seus filhos sequer nascidos, essas entidades opressoras querem também impedir a formação de famílias tradicionais. Porém são as famílias tradicionais a garantia da liberdade.

É assustador que essa gente que teve pai e mãe possa defender um modelo de sociedade onde não há reprodução. A feminização de homens provoca a busca cada vez maior das mulheres por homens-alfa para viver aventuras. Enquanto isso, a maior parte dos homens também se inferioriza e segue uma cartilha feminista associada à mesma ONU.

Com isso não há amor. As mulheres não se sentem mais seguras com homem algum e acabam buscando os cafajestes. Os homens sofrem nas mãos de mulheres feministas. Não há filhos nos casais, o que causa cada vez mais a perda de poder das mãos das famílias para dá-lo ao estado.

Vivemos num mundo que não dá mais liberdade para amar
Vivemos num mundo que não dá mais liberdade para amar. Nem se busca mais amores como antigamente.

Culturas opressoras, como a islâmica, não permitem que homens e mulheres se conheçam livremente. Não se misturam nem nas mesquitas. Não permitem o amor numa sociedade opressora e triste. Tornam os homens cruéis e as mulheres submissas. Porém não veremos as feministas ocidentais dizer uma palavra sobre o assunto.

Enquanto somos bombardeados por soja e outros alimentos com fitoestrogênio, feminilizando os homens e desregulando o sistema endócrino das mulheres, vamos todos ficando estéreis. Impedindo a nossa própria liberdade de viver o que deveria ser o objetivo comum de uma sociedade estabelecida pela lógica natural.

Será preciso não apenas lembrar aos homens que precisam comer gordura animal, como também precisam ter mais atitude. A falta de músculos, o acúmulo de gordura e o excesso de carboidratos têm tornado os homens débeis. Fracassando na vida em família, na saúde e na vida, temos visto os homens sendo diminuídos no mundo moderno. Como se houvesse culpa na atitude natural de quem sabe o que é. É preciso começar pela dieta, pelas gorduras animais, pelas fontes de fibras, pela água. É preciso tomar sol, fazer exercício e parar de se masturbar. É preciso concentrar as suas energias, a sua testosterona e a sua vontade de viver. Como homem.

As contradições inerentes numa única imagem.
As contradições inerentes numa única imagem.

Propagandistas de esquerda insistem em afirmar que você não sabe o que você é. Com isso criam identidades de gênero diversas, com o intuito de abrir possibilidades. Quem cai na armadilha acaba buscando o prazer pelo prazer. Com muito prazer, como se sabe, o indivíduo fica atordoado e anestesiado, impossibilitado de amar. O amor não se constrói apenas no sexo pelo prazer. Isso é importante para amar, mas um relacionamento livre entre duas pessoas jamais poderá ser somente sexo.

As mulheres, impossibilitadas de amar pelo excesso de hormônios, pela depressão por tentar se encaixar numa sociedade de uma maneira masculina e não conseguir, pela falta de compreensão sobre quem ela é e quem deve ser, vão ficando cada vez mais solitárias ou em relacionamentos infrutíferos com homens deprimidos. Quando sentem o chamado da natureza pode já ser tarde demais para tornarem-se mães. Os homens, desesperados, pois sabem que precisam formar família, andam sofrendo nas mãos de mulheres indecisas. Não há liberdade para amar nesse mundo moderno.

A lógica antinatural de uma sociedade sem amor tem mesmo o objetivo de reduzir a população. É a conclusão natural a que se chega à medida em que as agendas vão acelerando para se aceitar pedofilia, zoofilia e outras aberrações antinaturais. Oferecem o prazer como uma possibilidade de vida.

Família tradicional de Zuckerberg. O oposto do que ele aprova na propaganda.
Família tradicional de Zuckerberg. O oposto do que ele aprova na propaganda.

Ao impedir o amor de marido e mulher, de pai e mãe, de família e de viver, essa terrível estratégia de agenda setting que tenta impor por meio da arte, da cultura, da educação e da propaganda de que ser homem ou ser mulher é machismo ou feminismo anda destruindo corações e mentes mundo afora. O estrago será sentido mais adiante, quando faltar gente para gerar valor para a sociedade e todo mundo estiver numa grande masturbação coletiva.

Ao fundo, alguém ouviria o filósofo Clóvis de Barros Filho citando Nietzsche, falando sobre o “eterno retorno” ao que lhe dá prazer de viver, “vontade de potência”. Enquanto parece óbvio que nosso objetivo é, sim, formarmos famílias e vivermos juntos sobre a Terra. Livres de governos ou entidades tiranas que querem só nos destruir.

Mais certo está o filósofo Olavo de Carvalho, para quem “O direito de ter uma família tradicional será reservado à elite bilionária”. E ele está certo. Um exemplo claro? Basta acompanhar como o Zuckerberg trata a sua família e como o Facebook tem tratado os conservadores. No entanto, temos de ser justos com ele: o apoio que ele deu ao Trump durante a campanha foi fundamental para a eleição de um conservador para a Casa Branca. Porém já sabemos que ele faz um jogo duplo. Como muitos da elite globalista, quer destruir as famílias alheias, enquanto constrói para si uma família tradicional. Para o resto do mundo, ideologia de gênero. Para a sua própria casa, tradições.

Porém juntos seremos mais fortes e mais livres. A esperança consiste em tentar obter, cada vez mais, o domínio da própria vida, a consciência da tirania e como ela tenta influenciar e controlar corações e mentes mundo afora. Essa propaganda contínua de conteúdo anti-natural está enlouquecendo muita gente. Mas se você leu até aqui, ainda preservou a sua sanidade. E está na hora de ajudar na cura dos doentes. Ainda há muito o que fazer.

Como a alta cultura, aqui representada na música de Vivaldi, pode auxiliar a construir melhores pensamentos, sugerimos que você reflita sobre a falta de liberdade para o amor que os tiranos estão tentando destruir ouvindo a libertadora música de Vivaldi, as quatro estações.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s